Pular para o conteúdo principal

artistas

Dubuffet

Tenho uma admiração profunda pela Art Brut de Jean Dubuffet (1901 - 1985). Assim como em desenhos infantis, de crianças de uns dois ou três anos, onde a figuração mal se distingue, existe aí uma expressão plástica da mais alta espontaneidade, primordial, crua, bruta — no melhor sentido da palavra. Imagens que vêm lá do fundo sem nenhuma pretensão.

Francis Bacon

Francis Bacon (1909, Dublin - 1992, Madri) é meu ídolo. Admiro e invejo. Um único grito, talvez um pouco monotônico, mas inconfundível, e que ecoará até o fim desta civilização doente. Nunca estudou arte, mas desenvolveu uma forma de pintar muito própria e consistente, explorando distorções da figura humana para mostrar a violência animalesca enrustida nesta humanidade alienada e cínica.

Beksinski

Beksiński evoluiu de um estilo "barroco" para um "gótico". As definições são dele próprio, e com a primeira ele se referia ao "realismo fantástico" que o fez famoso na década de 1970, onde predomina a representação naturalística e uma intensa atmosfera "pós-apocalíptica"; na segunda ele enquadrou as obras dos anos 90 em diante, em que ele não se preocupa tanto com a perspectiva, mas brinca com a relação entre o bi e o tri-dimensional, deixando claro que pintura é pintura.

Inscrever-se em artistas